Notícias INOF

Ronco e Apnéia do Sono na Infância

Ronco e Apnéia do Sono na infância

Roncos noturnos e respiração oral durante o sono em crianças são queixas frequentes nos consultórios otorrinolaringológicos. A prevalência de ronco habitual em crianças entre 3 e 13 anos varia de 5 a 30%, enquanto a prevalência de respiração bucal em crianças com idade entre 6 e 12 anos é de 25%. Existem várias patologias que podem ser a causa, sendo as mais frequentes as rinopatias alérgicas, hipertrofia de tonsilas faríngeas (adenóide) e a hipertrofia das tonsilas palatinas (amígdalas). Nesta fase, além do aumento natural das tonsilas faríngea e palatina, ocorrem infecções de repetição que levam à hipertrofia do tecido linfóide tonsilar, alterando o quadro respiratório para um padrão obstrutivo de maneira crônica. A longo prazo, em consequência da respiração oral, tem-se o desenvolvimento de alterações crânio-faciais que perpetuam o padrão oral da respiração além de poder causar problemas posturais e auditivos.

Nos respiradores orais são também frequentes a ocorrência tanto da Síndrome da Apnéia do Sono (SAOS), condição clínica potencialmente grave, quanto do ronco primário.

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual a diferença entre roncos noturnos e apnéia do sono?

Ronco primário consiste em ruído transmitido pela respiração devido à passagem de ar pela via aérea superior sem, no entanto, causar alterações no sono, na ventilação alveolar e na saturação de oxigênio do sangue. Já a Síndrome da Apneia do Sono em crianças é uma doença caracterizada por obstrução parcial prolongada e/ou obstrução completa das vias aéreas superiores que interrompe a ventilação normal.

Quais os principais sintomas da apnéia do sono?

Os sinais e sintomas dessa síndrome incluem ronco habitual, sono entrecortado, distúrbios neurocognitivos e comportamentais como: dificuldades de aprendizado, alterações de comportamento, déficit de atenção e hiperatividade. Outras complicações incluem o atraso de crescimento e desenvolvimento e aumento da pressão pulmonar.

Como diferenciar ronco de apneia do sono?

O exame padrão ouro para diferenciar ronco de apnéia do sono é a polissonografia. Este exame é realizado no laboratório sob supervisão de um técnico habilitado em polissonografia, registrando- se pelo menos 6 horas, com a monitorização mínima dos seguintes parâmetros:

• eletroencefalograma

• eletro-oculograma

• eletromiograma de membros inferiores

• fluxo aéreo nasal e oral

• registro de pressão nasal obtido por transdutor de pressão;

• registro do movimento torácico e abdominal

• eletrocardiograma;

• oximetria digital;

• registro de ronco com microfone

• registro de posição corporal.

Porque é importante o diagnóstico e tratamento precoce da respiração oral?

A respiração oral pode afetar o desenvolvimento da face, causando alterações crânio- faciais, como: palato ogival, inclinação anterior dos dentes incisivos, mordida aberta, prejudicando a função mastigatória e o crescimento facial adequado. Segundo alguns estudos, a idade ideal de realizar-se a adenoamigdalectomia é entre 2 e 4 anos, pois nessa faixa etária há a correção adequada das alterações da face sem a necessidade de tratamento ortodôntico.

Cuide de seu filho!!!!

Caso sua criança apresente esses sintomas, procure um otorrinolaringologista.

Dr. Henrique Hiroshi Miyazawa